VEM PRO GOOGLE

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

PEC 438: O FIM DO TRABALHO ESCRAVO?

Está em tramitação no Congresso o PEC (projeto de emenda constitucional), que prevê a apropriação de terras onde constatado o trabalho escravo.
Dia 21 de março deste ano houve uma sessão plenária no Senado Federal, em que foi assumido pelo deputado Arlindo Chinaglia o compromisso público de colocar o PEC em votação ainda neste semestre.
Na reunião coordenada pelo senador José Nery (PT-PA), presidente da Subcomissão de Combate ao Trabalho Escravo do Senado, as vinte e seis entidades que integram o Movimento Pró-PEC 438 aprovaram o "Manifesto à nação contra o trabalho escravo e pela aprovação da PEC 438/2001". Participaram da reunião representantes das centrais centrais sindicais, que também aderiram ao movimento.
Foram definidos os dias 3 e 4 de junho como datas de mobilização em defesa da PEC 438/2001 e do lançamento nacional da Frente Nacional de Combate ao Trabalho Escravo.
Neste ano completaremos cento e vinte anos da abolição da escravatura no país, e esta é a oportunidade de tornarmos efetiva a integridade e a dignidade do trabalhador, aviltada em seu mais alto grau.
Se aprovada, permitirá que o Estado exproprie as terras onde for constatado o trabalho escravo, sem o pagamento de indenização. Em contrapartida, a área seria revertida ao assentamento dos colonos que já trabalhavam na gleba. Hoje há o perdimento das terras onde há plantação de maconha.
O trabalho escravo é um crime que raramente ocorre sozinho, mas agrega-se a crimes ambientais e de grilagem de terra.

Se a terra utilizada para a exploração do trabalho escravo é pública, o Incra pode retomar a área e destiná-lo à reforma agrária.
Existe também o precedente da desapropriação de imóvel pelo descumprimento da função social do trabalho. Já foi utilizado como fundamento para a desapropriação de uma fazenda no sul do Pará. Não depende de ser o imóvel produtivo ou não, mas se ele cumpre a sua função social trabalhista. No caso, o proprietário é indenizado.
Com a aprovação do PEC 438, de 2001, antigo PEC 57/1999, talvez vejamos resolvido de uma vez por todas um problema que é uma chaga para o país, inclusive com repercussão internacional.
Abaixo, segue a íntegra do projeto.

Projeto: PEC 438/2,001 (antigo PEC 57/1999)
Área: xx Assunto: Trabalho escravo.
Autor: Sen. Ademir Andrade Origem: Senado Federal
Ementa: Dá nova redação ao art. 243 da Constituição Federal (Estabelecendo a pena de perdimento da gleba onde for constada a exploração de trabalho escravo; revertendo a área ao assentamento dos colonos que já trabalhavam na respectiva gleba).*
Relator: Dep. Tarcisio Zimmermann (PT/RS)
DOCUMENTOS: Texto na íntegra da PEC 438-2001.pdf

TRAMITAÇÃO:
Data: 24/08/2004
Comissão: CESP (Comissão Especial)
Texto: Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 438-A, de 2001, que "dá nova redação ao art. 243 da Constituição Federal" (estabelecendo a pena de perdimento da gleba onde for constada a exploração de trabalho escravo; revertendo a área ao assentamento dos colonos que já trabalhavam na respectiva gleba). (PEC43801) Aprovada a redação para o 2º turno de discussão, na conformidade com a redação do vencido, proposta pelo relator, Dep. Tarcísio Zimmermann.
Documento: ---

Data: 11/08/2004
Comissão: PLEN (Plenário)
Texto: Foi apresentada uma Emenda Aglutinativa Substitutiva de Plenário, por acordo dos Srs. Líderes. Parecer proferido em Plenário pelo Relator, Dep. Tarcisio Zimmermann (PT-RS), pela Comissão Especial, que conclui pela aprovação da Emenda Aglutinativa Substitutiva de Plenário.
Encerrada a discussão.
Votação em primeiro turno.
Aprovada a Emenda Aglutinativa Substitutiva de Plenário nº 1. Sim: 326; Não: 10; Abst.: 8; Total: 345.
Em conseqüência fica prejudicada, a Proposição inicial, as PEC´s 232/95, 21/99, 189/99, 300/00 e 235/04, apensados, e as emendas apresentadas.
A Matéria retorna à Comissão Especial para elaboração da redação para o segundo turno. Em conseqüência fica prejudicada, a Proposição inicial, as PEC´s 232/95, 21/99, 189/99, 300/00 e 235/04, apensados, e as emendas apresentadas.
Documento: Emenda Aglutinativa Substitutiva de Plenário|http://200.219.132.4/sileg/integras/236611.htm

Data: 14/05/2004
Comissão: CCP (Coordenação de Comissões Permanentes)
Texto: Encaminhada à publicação. Parecer da Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 438-A, de 2001, que "dá nova redação ao art. 243 da Constituição Federal" (estabelecendo a pena de perdimento da gleba onde for constada a exploração de trabalho escravo; revertendo a área ao assentamento dos colonos que já trabalhavam na respectiva gleba). publicado no DCD de 15/05/04, Letra B.
Documento: ---

Data: 12/05/2004
Comissão: CESP (Comissão Especial)
Texto: Parecer com Complementação de Voto, Dep. Tarcisio Zimmermann, pela aprovação desta com emenda, pela rejeição da EMC 1/2004 PEC43801, da EMC 3/2004 PEC43801, da PEC 21/1999, da PEC 189/1999, da PEC 232/1995, da PEC 300/2000, e da PEC 235/2004, apensadas, e pela aprovação parcial da EMC 2/2004 PEC43801com subemenda. Aprovado por Unanimidade o Parecer com Complementação de Voto, apresentaram votos em separado os Deputados Asdrubal Bentes e Paulo Rocha
Documento: Complementação de Voto do Dep. Tarcísiso Zimmermann|http://200.219.132.4/sileg/integras/222631.htm

Data: 28/04/2004
Comissão: CESP (Comissão Especial)
Texto: Vista conjunta aos Deputados Asdrubal Bentes e Paulo Rocha.
Documento: ---

Data: 16/04/2004
Comissão: SSEXP (Subsecretaria de Expediente)
Texto: Recebido neste órgão às 14:40 hs.
Documento: ---

Data: 03/03/2004
Comissão: CESP (Comissão Especial)
Texto: Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 438-A, de 2001, que "dá nova redação ao art. 243 da Constituição Federal" (estabelecendo a pena de perdimento da gleba onde for constada a exploração de trabalho escravo; revertendo a área ao assentamento dos colonos que já trabalhavam na respectiva gleba). (PEC43801)
Recebimento pela PEC43801, com as proposições PEC-300/2000, PEC-235/2004, PEC-21/1999, PEC-232/1995, PEC-159/1999, PEC-189/1999 apensadas.
Designado Relator, Dep. Tarcisio Zimmermann (PT-RS)
Abertura de Prazo para Emendas ao Projeto a partir de 04/03/2004. Foram apresentadas 3 emendas
Documento: ---

Data: 11/02/2004
Comissão: CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania)
Texto: Aprovado por Unanimidade o Parecer
Documento: ---

Data: 21/11/2003
Comissão: CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania)
Texto: Parecer do Relator, Dep. Luiz Eduardo Greenhalgh, pela admissibilidade desta, da PEC 21/1999, da PEC 159/1999, da PEC 189/1999, da PEC 232/1995 e da PEC 300/2000, apensadas.
Documento: Parecer da CCJC - PEC 438-2001.htm

Data: 20/11/2001
Comissão: CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania)
Texto: Recebimento pela CCJR.
Documento: ---

Data: 06/11/2001
Comissão: MESA (Mesa Diretora da Câmara dos Deputados)
Texto: Despacho à CCJR. Apense-se à esta a PEC 232/95 e apensadas.
Documento: ---

Data: 05/11/2001
Comissão: SSEXP (Subsecretaria de Expediente)
Texto: Remetido à Câmara dos Deputados.
Documento: ---

Data: 31/10/2001
Comissão: PLEN (Plenário)
Texto: Aprovada em segundo turno tendo feito declaração de voto do Sr. Ademir Andrade. À Câmara dos Deputados. À SSEXP.
Documento: ---

Data: 28/09/2001
Comissão: CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania)
Texto: É aprovado o Relatório do Senador Romeu Tuma em primeiro turno que passa a constituir o Parecer da CCJ, pela rejeição da Emenda nº 1-PLEN. À SSCLSF.
Documento: ---

Data: 05/09/2001
Comissão: PLEN (Plenário)
Texto: Anunciada a matéria, é lida a Emenda nº 1-PLEN. Encerrada a discussão da proposta e da emenda, em primeiro turno, a matéria retorna à CCJ para proferir parecer sobre a Emenda nº 1-PLEN. À CCJ.
Documento: ---

Data: 15/08/2001
Comissão: CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania)
Texto: Reunida a Comissão, é aprovado o relatório do Senador Romeu Tuma, que passa a Constituir o Parecer da CCJ, pela aprovação da Proposta.
Documento: ---

Data: 02/07/1999
Comissão: CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania)
Texto: Distribuído ao Sen. Romeu Tuma para relatar.
Documento: ---

Data: 18/06/1999
Comissão: CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania)
Texto: Recebido na CCJ, nesta data. Aguardando distribuição.
Documento: ---

Data: 18/06/1999
Comissão: PLEN (Plenário)
Texto: Leitura do Projeto.
Documento: ---
Postar um comentário

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
Praia, sol, mar... rios, aves, plantas, flores, frutos... a natureza em todas as potencialidades. O belo, próximo. A segunda cidade mais antiga do Brasil, a Amazônia Paulista, minha paixão.

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog

VIVER

“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.” (Oscar Wilde)

SONHOS

“Todos os homens sonham, mas não da mesma maneira. Existem aqueles que têm seus sonhos à noite, nos recônditos de suas mentes, e ao despertar, pela manhã, descobrem que tudo aquilo era bobagem. Perigosos são os homens que sonham de dia, porque são capazes de viver seus sonhos de olhos abertos, dispostos a torná-los realidade.” (T. E. Lawrence)